Follow by Email

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Bate papo com chocolate perfumado (Chatter with Scented Chocolate)



O maior dilema do século XXI será sem duvida adequar as necessidades ecológicas do planeta e a cultura do consumo de massa e as necessidades das classes dominantes do planeta em seu anseio de poder econômico e político.

Toda economia mundial é baseada no consumo de massa que tem como meta o sonho americano.
Como compatibilizar este triple?

Nas últimas décadas do século XIX, combinando a unificação da Itália e sobretudo da Alemanha, o primeiro disparou o crescimento mercantil, industrial e técnico-científico (Segunda Revolução Industrial), o segundo contribuiu para que se estabelecessem legislações que fizeram aumentar os salários, e já com a consciência que o desenvolvimento da demanda interna permitiria o crescimento do beneficio. Talvez é mais frequente apontar como marco a aplicação da linha de montagem e a fabricação de automóveis, por Henry Ford em 1909, o que permitiu o barateamento do produto final; mas seria melhor considera-lo um exemplo visível de um processo muito mais amplo.

Nós com nosso egoísmo, nossa ambição desenfreada, nosso consumismo sem limite, na busca constante de suprirmos, os nossos desejos financeiro, buscando sempre viver de aparência e isto fazendo à custa de derrubadas de árvores, queimadas, extinção de espécies, poluição do ar, do solo e da água, não importando ao menos se todo este descaso com o planeta vai valer mesmo a pena, pois para que todo este lucro, esta aparência de ser o melhor, de ter a melhor casa e o melhor carro a melhor conta bancária, sendo que não terá como aproveitar, já que o planeta já reclama e está à beira de um colapso total. E para que tanto se gerações futuras também não aproveitará esta fortuna.

O ritmo consumista está trazendo problemas seriíssimos, insustentáveis, não se pode nem medir o valor da perda só assistindo o planeta responder de forma dramática.

A sociedade de consumo tem, claramente, um forte encanto e traz consigo muitos benefícios econômicos. Também seria injusto argumentar que as vantagens obtidas por uma geração anterior de consumidores não deveriam ser compartilhadas pela geração seguinte.





The biggest dilemma of the 21st century will undoubtedly suit the ecological needs of the planet and the culture of mass consumption and the needs of the planet's dominant classes in its desire for economic and political power.

The whole world economy is based on mass consumption that has as its goal the American dream. How to reconcile this triple?

In the last decades of the 19TH century, combining the unification of Italy and mainly from Germany, the first raised the growth market, industrial and technical-scientific (Second Industrial Revolution), the second contributed to establish laws that did increase wages, and already with the awareness that the development of internal demand growth would benefit. Maybe it's more frequent point as starting point the application of assembly line and automobile manufacturing, by Henry Ford in 1909, which allowed the reduction of the final product; but it would be better to consider it a visible example of a much broader process.



We with our selfishness, our unbridled ambition, our consumerism without limit, in the constant quest to meet our economic desires, always seeking live appearance and this doing at the expense of downed trees, fires, species extinction, pollution of air, soil and water, no matter at least if all this neglect with the planet will be even worth because for all this profit, this looks to be the best, you have the best home and the best car the best bank account, and won't have as leverage, since the planet already complains and is on the verge of total collapse. The future generations won’t also this fortune.

The consumerist is bringing problems many serious pace, unsustainable, we cannot nor measure the value of loss only watching the planet respond dramatically.

The consumer society has clearly a strong charm and brings many economic benefits. Also it would be unfair to argue that the benefits obtained by a previous generation of consumers should not be shared by the next generation.

Chocolate quente perfumado de laranja (Orange Scented Hot Chocolate)



2 xicaras de leite/2 cups milk
130 ml de chocolate amargo/130 ml bittersweet chocolate
3 tiras de 2 polegadas laranjas casca /3 2-inch strips oranges peel
1 colher de sopa de café gourmet em pó/1 tablespoon of coffee gourmet powder
1 colher de chá de noz-moscada/ 1 teaspoon nutmeg



1. Combine leite, chocolate (amargo picado), casca de laranja, café e noz-moscada em uma panela média pesada. Mexa em fogo baixo até chocolate derreter e aumentar o calor apenas para ferver, mexendo sempre. Retire do fogo e bata até ficar espumoso.

Combine milk, chocolate (chopped bittersweet or semi-sweet ), orange peel, espresso (instant coffee), and nutmeg in a heavy medium saucepan. Stir over low heat until chocolate melts, increase heat and bring just to a boil, stirring often. Remove from heat and whisk until frothy.

2. Retornar o calor e leve para ferver novamente. Retire do fogo, misture até ficar espumoso. Repita o aquecimento e mexendo mais uma vez.

Return to heat and bring to boil again. Remove from heat, whisk until frothy. Repeat heating and whisking once again.

3. Descarte a casca de laranja. (Pode ser preparado 2 horas à frente. Deixe repousar à temperatura ambiente. Antes de servir, trazer apenas para ferver, retire do fogo e bata até ficar espumoso.) Despeje o chocolate quente em canecas de café. Faz 2 porções.

Discard orange peel. (it can be prepared 2 hours ahead. Let stand at room temperature. Before serving, bring just to boil, remove from heat and whisk until frothy.) Pour hot chocolate into coffee mugs. It makes 2 servings.

Nenhum comentário:

Postar um comentário