Follow by Email

segunda-feira, 26 de março de 2012

Banalidade da violência diária (Banality of daily violence)



Violência é um comportamento que causa intencionalmente dano ou intimidação moral a outra pessoa, ser vivo ou dano a quaisquer objetos. Tal comportamento pode invadir a autonomia, integridade física ou psicológica e mesmo a vida de outro. É o uso excessivo de força, além do necessário ou esperado.

Por que o ser humano tem a necessidade de ver, sentir e praticar a violência?

Talvez o mimetismo seja a origem da violência humana que desestrutura e reestrutura as sociedades. A antropologia teoriza que uma de suas grandes descobertas é o mecanismo da vítima expiatória, segundo um mecanismo fundador de qualquer comunidade humana e de qualquer ordem cultural: quando o objeto de desejo é de apropriar, a convergência dos desejos conflitantes em sua direção engendra a rivalidade mimética que é a fonte da violência. No grupo primitivo, esta violência, por paroxismo, se focaliza numa vítima arbitrária cuja eliminação reconcilia o grupo. Esta vítima é sagrada e constitui a gênese do sentimento religioso primitivo, do sacrifício ritual como repetição do evento originário, do mito e dos interditos.

A violência faz parte da historia humana.Através dos séculos as civilizações construíram e constroem armas mas eficazes para subjulgar seus “inimigos”.A historia humana é recheada de guerras e quando surge uma nação hegemônica ela nasce sob as cinzas de outra sociedade que não foi capaz de se prover um mecanismo de defesa eficiente a sobrevivência de seu estilo de vida.

Pouco ou nenhum diferença há entre as frases “Delenda est Cartago” ou “Guerra ao Terrorismo”. Ambas são compostas de caráter etnocêntrico e eugênico. Uma verdade inexorável é que as mudanças significativas na história humana só ocorreram quando os oprimidos encostaram a faca na garganta dos opressores..

O discurso de não violência e de direitos humanos é adequado e inerente aos grupos dominantes que moram nos bairros nobres onde os índices de homicídios são iguais a zero. Nesse local os discursos da não violência e dos direitos humanos colam. Na periferia onde os confrontos militares são comuns e se vive ouvindo tiros e explosões e convivendo com mortos na soleira da porta não violência e direitos humanos é um mito.



A origem da violência pode ser genética e ate mesmo religiosa, mas sem duvida que a desigualdade social é um dos principais combustíveis para a origem da violência humana. Num planeta onde 1% são proprietários de 40 % do PIB mundial a violência ajuda estabelecer os pactos sociais e status quo das sociedades humanas.

Violence is behaviors that intentionally cause damage or moral intimidation to another person, living or damage to any objects. Such behavior can invade the physical or psychological integrity, autonomy and even the life of another. It’s the excessive use of force, beyond what is necessary or expected.

Why the human being has the need to see, feel and enjoy the violence?

Maybe the mimicry is the origins of human violence that the institutionalized and restructure societies. Anthropology theorizes that one of his major discoveries is the mechanism of atoning victim, according to a mechanism of any human community and founder of any cultural policy: when the object of desire is It should take ownership, the convergence of conflicting desires toward engenders the Mimetic rivalry that is the source of violence. It’s in the primitive group, this violence, by a paroxysm, focuses the disposal of which reconciles the victim of arbitrary group. This victim is sacred and is the genesis of primitive religious sentiment, ritual sacrifice as repetition of event originating from the myth and banned.



The violence is part of human history. Through the centuries the civilizations built and build weapons but effective to subdue their "enemies”. Human history is full of wars and when there is a hegemonic it arises under the nation's ashes another company which has not been able to provide an effective defense mechanism the survival of your lifestyle.

It’s little or no difference between the phrases "Delenda est Carthago" or "war on terrorism". Both are composed of a long-term eugenics and ethnocentric judgment. An inexorable truth is that significant changes in human history occurred only when the oppressed to pull over the knife at the throat of the oppressors.

The speech of non-violence and human rights is appropriate and dominant groups inherent to live in neighborhoods where the indexes nobres homicides are zero. At this location the speeches of nonviolence and human rights stick. On the outskirts where the military clashes are common and if you live hearing shots and explosions and living with the dead in door sill not violence and human rights is a myth.


Nenhum comentário:

Postar um comentário