Follow by Email

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Depressão pode ser aliviada na cozinha (Depression can be relieved in the kitchen)



Você está caído e seu âmago esta derrubado. A depressão pode ser curada na elaboração de seu alimento. Distrair fazendo sua comida pode ser um argumento para que a depressão seja atenuada fazendo a atividade de cozinhar e na elaboração de alimentos que levante sua psique.

Faça escolhas inteligentes quando está com seu humor abalado:

1. Opção: Omelete

Por que: Os ovos são ricos em vitamina B e proteínas. Uma dieta rica em vitaminas B pode ajudar a diminuir a gravidade dos sintomas de depressão. Vitaminas B, especialmente, 6 B e B-12, podem ajudar a melhorar a função neural - a forma como os neurotransmissores do cérebro enviam sinais, que rege o humor. Existe também uma crescente relação entre vitamina B12 e depressão. Um estudo de 2010 de 3.000 adultos descobriu que aqueles com baixa ingestão destas vitaminas tinham um maior risco de depressão.

As proteínas dos ovos (como com carnes magras) ajudam você sentir satisfeito e controla a estabilização do açúcar no sangue. Os ovos podem ser consumidos em uma variedade de formas.

Outras alternativas: Carnes e gérmen de trigo



2. Opção: Sementes e frutos de casca rija

Por que: Contém magnésio. O magnésio é um mineral encontrado naturalmente em nozes e sementes, influencia a produção de serotonina, e uma substancia que traz "satisfação" química. O magnésio afeta a produção global de energia.

Bônus extra: As nozes também são uma boa fonte de proteínas e gorduras saudáveis. E como todo alimento, eles fazem uma alternativa saudável para lanches, desde que você escolher variedades sem sal e açúcar. Cobertura de sal ou adoçados não adicionam quaisquer benefícios de saúde e podem fazê-lo a comer demais porque estas substancias facilitam o apelo do cérebro para cada vez mais sal ou açúcar.

Outras alternativas: Exemplos: Sementes de abóbora, sementes de girassol, caju, amêndoas, amendoins. (Vegetais de folhas verdes e cereais integrais também são ricos em magnésio.)



3. Peixes de água fria


Por que: O ácido graxo ômega-3. Há uma razão para que o peixe seja conhecido como "alimento para o cérebro". Peixes gordos como o salmão selvagem contêm o ácido graxo ômega 3 DHA, que foi mostrado para aumentar a função de qualidade e o nervo de membrana de matéria cinzenta no cérebro. Vinte por cento de matéria cinzenta no cérebro é composto de DHA. Alguns estudos concluíram que o consumo de DHA especialmente aumentos cinzenta na amígdala, o hipocampo e o cingulado, três áreas do cérebro associadas com humor. Pessoas com depressão severa têm menos matéria cinzenta nestas áreas.

Peixe é também uma grande fonte de proteína magra, que estabiliza o açúcar no sangue. Comer pequenas quantidades de proteína nas refeições pode ajudar a manter seu humor.

Outras alternativas: Salmão selvagem, arenques, sardinhas, anchovas, atum (não mais de uma vez por semana), truta arco-íris, cavala. Suplementos de óleo de peixe são uma alternativa prática para aqueles que não comem estes peixes de água fria, pelo menos, três vezes por semana.

4. Grãos Antigos

Por que: Os carboidratos complexos levam mais tempo para digerir, o que significa que eles não causam picos de açúcar no sangue que podem criar modos semelhante a de uma montanha-russa. Carboidratos complexos também aumentarem os níveis de serotonina no cérebro.

Enquanto qualquer grão inteiro é bom, chamados "grãos antigos" são ainda melhores , porque eles são menos propensos a ser modificado de homem e processados. Embalados, processados e refinados alimentos feitos com farinha de trigo e açúcar, por outro lado, tendem a ser digerida rapidamente, fazendo com que o açúcar no sangue causando picos de glicemia. Quando isso acontece, o corpo responde com um superdose de insulina, acaba deslocando muito açúcar para as células - e logo após despenca o açúcar no sangue. O resultado final: concentração mais pobre, fadiga, mudanças de humor, ânsias intensas e excessos.

Antigos grãos estão cada vez mais disponíveis às principais supermercados. Observar onde produtos de arroz são processados. Muitos grãos antigos podem ser cozidos no lugar do arroz ou macarrão e servidos em seu lugar como acompanhamentos, em caçarolas, ou como uma base para peixe ou frango.

Bônus: Alguns grãos antigos são uma alternativa de grãos i para quem tem alergia ao trigo ou tem intolerância glúten. (Cevada, porém, contém glúten).

Outras alternativas: Quinoa, milheto, teff, amaranto, espelta, cevada

5. Chá verde e café

Por que: O aminoácido L-theanine é um aminoácido encontrado principalmente nas folhas de chá e no café; tem sido demonstrado por testes de EEG para estimular as ondas cerebrais alfa. Isso pode melhorar o foco ao também ter um efeito calmante sobre o corpo.

Apesar da cafeína, o L-theanine no chá verde parece ser profundamente relaxante, com efeitos peduram até oito horas. L-theanine é facilmente absorvido e pode cruzar a barreira sangue - cérebro, adicionando a sua eficácia.



You are fallen and your heart this overthrown. Depression can be cured in the preparation of its food. Distract your food can be an argument for that depression is mitigated by the activity of cooking and foods that raise your psyche.

Try these smart choices when your mood is depressed:
1. An omelet -- just don't skip the yolk

Eat it for: The B vitamins and protein. Egg yolks are the vitamin-B-rich part of the egg.

A diet rich in B vitamins can help lessen the severity of depression symptoms. B vitamins, especially B-6 and B-12, can help improve neural function -- the way the neurotransmitters of the brain send signals, which helps govern mood. There's also a growing link between vitamin B deficiency and depression. A 2010 study of 3,000 older adults followed over 12 years found that those with lower intake of these vitamins had a higher risk of depression.

The protein in eggs (as with lean meats) helps you feel satisfied longer, stabilizing blood sugar. And eggs can be consumed in a variety of ways.

Other examples: Lean beef, wheat germ, fish, poultry



2. Nuts and seeds

Eat it for: The magnesium. Magnesium, a mineral found naturally in nuts and seeds, influences production of serotonin, a "feel-good" brain chemical. Magnesium also affects overall energy production.

Bonus: Nuts are also a good source of protein and healthy fats. And as a whole food, they make a healthy alternative to processed snacks, provided you choose unsalted and unsweetened varieties. Salt and sugared coatings don't add any health benefits and may make you overeat because they set up cravings in the brain for more and more salt or sugar.

Examples: Pumpkin seeds, sunflower seeds, cashews, almonds, peanuts. (Green leafy vegetables and whole grains are also high in magnesium.)
3. Cold-water fish

Eat it for: The omega-3 fatty acids. There's a reason fish is known as "brain food." Fatty fish such as wild salmon contain the omega-3 fatty acid DHA, which has been shown to increase the membrane quality and nerve function of gray matter in the brain. Twenty percent of the gray matter in the brain is composed of DHA. Some studies have found that DHA consumption especially increases gray matter in the amygdala, the hippocampus, and the cingulated, three areas of the brain associated with mood. People with severe depression have less gray matter in these areas.

Fish is also a great source of lean protein, which stabilizes blood sugar. Eating small amounts of protein with meals can help keep your mood on a more even keel.


Examples: Wild salmon, herring, sardines, anchovies, tuna (not more than once per week), rainbow trout, mackerel. Fish-oil supplements are a practical alternative for those who don't eat these cold-water fish at least three times a week.
4. Ancient grains

Eat it for: The complex carbohydrates take longer to digest, which means they don't cause spikes in blood sugar that can create roller-coaster moods. Complex carbs also increase levels of serotonin in the brain. While any whole grain is good, so-called "ancient grains" are even better, according to Reardon, because they're less likely to be man-modified and processed. Packaged, processed, and refined foods made with wheat flour and sugars, in contrast, tend to be digested quickly, causing cause blood sugar to spike. When this happens, the body responds with an over secretion of insulin, which winds up moving too much sugar into cells -- and blood sugars plummet. The end result: poorer concentration, fatigue, mood swings, intense cravings, and overeating.

Ancient grains are increasingly available at mainstream grocery stores and big-box stores. Look where rice products are shelved. Many ancient grains can be cooked like pasta or rice and served in their place as side dishes, in casseroles, or as a base for fish or chicken.

Bonus: Some ancient grains are a whole-grain alternative for those who are allergic to wheat or have gluten intolerance. (Barley, though, contains gluten.)

Examples: Quinoa, millet, teff, amaranth, spelt, barley
5. Green tea and coffee

Drink it for: The amino acid L-theanine in tea leaves or coffee; it's been shown by EEG tests to stimulate alpha brain waves. This can improve focus while also having a calming effect on the body.



"Despite the caffeine, the L-theanine in green tea seems to be profoundly relaxing, with effects that last up to eight hours,". L-theanine is easily absorbed and can cross the blood-brain barrier, adding to its effectiveness.

Examples: Hot green tea, brewed iced green tea -- including flavored varieties like jasmine green tea or berry green tea

Why it helps: L-theanine is an amino acid found mainly in tea leaves; it's been shown by EEG tests to stimulate alpha brain waves. This can improve focus while also having a calming effect on the body.

"Despite the caffeine, the L-theanine in green tea seems to be profoundly relaxing, with effects that last up to eight hours”. L-theanine is easily absorbed and can cross the blood-brain barrier, adding to its effectiveness.

Nenhum comentário:

Postar um comentário