Follow by Email

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Fitoterápico (Phytotherapeutic) ?



Um medicamento fitoterápico é aquele alcançado de plantas medicinais, onde utiliza-se exclusivamente derivados de droga vegetal tais como: suco, cera, exsudato, óleo, extrato, tintura, entre outros. O termo confunde-se com fitoterapia ou com planta medicinal que realmente envolve o vegetal como um todo no exercício curativo e/ou profilático. Os fitoterápicos são medicamentos industrializados, onde são tratados através de legislação específica. São uma mistura complexa de substâncias, onde, na maioria dos casos, o princípio ativo é desconhecido.

O simples fato de coletar, secar, estabilizar e secar um vegetal não o torna medicamento fitoterápico. Deste modo, vegetais íntegros, rasurados, triturados ou pulverizados, não são considerados medicamentos fitoterápicos, em outras palavras, uma planta medicinal não é um fitoterápico. Também não são considerados fitoterápicos os chás, medicamentos homeopáticos e partes de plantas medicinais.

Embora de difícil consenso, um fitoterápico pode ser definido como um medicamento (obtido pela tecnologia farmacêutica e industrializado) de origem vegetal (fitomedicamento) caracterizado por apresentar várias substâncias qúimicas (fitoquímicos) responsáveis pelos efeitos terapêuticos e\ou colaterais (também). Esta definição se opõe à de um medicamento não-fitoterápico cuja origem do(s) princípio(s) ativo(s) não é(são) exclusivamente vegetal(is) além de ser variada (ex: anti-histamínicos, antitérmicos e vitamina C todos juntos em comprimidos antigripais). Por exemplo (típico), o fitoterápico Ginkgo biloba tem cerca de 20 substâncias ativas que respondem juntas pelo efeito terapêutico, sem a totalidade simultânea das quais, o mesmo efeito não se alcança na plenitude.

Assim como outros medicamentos, os fitoterápicos quando utilizados de forma incorreta podem proporcionar problemas de saúde.




A phytotherapeutic medication that is reached of medicinal plants, where using exclusively vegetable-derived drugs such as juice, oil, wax, exudates, extract, tincture, among others. The term confuses him with herbal medicine or medicinal plant that actually involves the plant as a whole in curative and prophylactic and/or exercise. The herbs are industrialized, where medicines are treated through specific legislation. Are complex mixtures of substances, where, in most cases, the active ingredient is unknown?

The mere fact of collecting, drying, stabilizing and drying a vegetable phytotherapeutic medicinal product does not make it. In this way, healthy plants, crushed or powdered, are not considered medicinal herbs, in other words, a medicinal plant is not a phytotherapeutic. It’s also not considered teas herbs, homeopathic and parts of medicinal plants.

Although difficult consensus, a herbal medicines can be defined as a medicinal product (obtained by pharmaceutical technology and industrialized) of plant origin (phytodrugs) characterized by presenting various chemical substances (phytochemicals) responsible for the therapeutic effects side e\ou (also). This definition is opposed to a non-phytotherapeutic medicine whose source (s) principle (s) active (s) is (are) exclusively vegetable (s) in addition to being varied (e.g., antihistamines, antipyretic medicines and vitamin C tablets together anti-influenza). For example (typical), the phytotherapeutic Ginkgo biloba has about 20 active substances that respond together by therapeutic effect, without the simultaneous all of which, the same effect cannot be achieved in the fullness.

As well as other medicines, herbal medicines when used incorrectly can provide health problems.

Nenhum comentário:

Postar um comentário